Quem sou eu

Minha foto

Olá! Sou professora de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação de Campinas e trabalho com inclusão escolar na rede regular de ensino, desde 2003. Atualmente atuo na Sala de Recursos Multifuncionais, fazendo o Atendimento Educacional Especializado para crianças com deficiência, TGD e altas habilidades no contra turno da escola regular. Sou casada, tenho dois filhos pequenos (meus ruivinhos lindinhos) e um cachorro fofo. Nossa família é cristã e sempre se reúne para orar, ler a Bíblia e fazer estudos bíblicos com as pessoas. Gosto muito de ler, cantar, tocar violão, meia lua. Também escrevo livros infantis e gosto muito desse trabalho. Tenho quatro livros publicados pela Editora Árvore da Vida,  artigos sobre educação e um livro digital publicado pela Saraiva: Josias - pé na cidade, coração no rio. Outros livros estão em andamento! Possuo quatro blogs:

Espero que você goste! Boa leitura!

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Proposta de atividade para o livro Eu conto com Deus - Parte 2.



Editora Árvore da Vida.
Autora: Aline Caetano Begossi.
Para adquirir o livro clique no link abaixo:


1.       Poema zero:
Conversar com as crianças: Porque foi criando o número zero? O que ele representa?
Como eles representariam o zero?
Contar com detalhes a história da viúva.
O que essa história representa? O que é impossível para Deus? O que nós podemos aprender com essa história
Relacionar com a história da Luva Lulu, onde o vazio também tornou-se cheio. Fazer as brincadeiras de encher a bexiga, encher o copo d’ água até  transbordar

2.       Poema 1:
O poema um fala do Senhor  ser único.
Trabalhar o quanto o Senhor é ciumento, e que Ele é o único que deve ser adorado.  Histórias sobre Baal, o bezerro de ouro, entre outras. Fazer um livro contendo essas histórias. Cada página é uma história reescrita/ilustrada por uma criança. O livro poderá ter o título do poema:  “Um” e ter o poema um como prefácio.
Que só Ele faz a mediação entre nós e o Pai.
Que só Jesus traz a salvação.
Pedir que eles procurem coisas que sejam únicas no mundo. Por exemplo: cada ser humano é único. Para a nossa galáxia, existe um sol, um planeta Terra....

3.       Poema 2:
O poema fala sobre orar. Conversar com as crianças a importância da oração.
Que sempre quando há dois ou mais, o Senhor estará no meio deles.
Perguntar sobre as experiências deles de orações respondidas.
Mostrar que devemos nos atentar sobre a forma de orar – conversar com Deus, na hora do almoço, antes de dormir, ao acordar, sempre que quiser falar algo...
Não usar de repetições, mas falar o que está no coração. Incentivá-los a orar em duplas ou em trios, para que todos orem

4.       Poema 3:
O poema fala sobre sermos tripartidos e as funções do nosso corpo, alma e espírito. Aproveite para fazer um grande painel gigante com os três círculos e o versículo de Tessalonicenses, identificando essas três partes. Peça para as crianças fazerem desenhos das partes do corpo, das atividades da nossa alma (amar, desejar, pensar...) os próprios desenhos do poema podem servir de exemplo para as crianças e do espírito recebendo o Senhor (as crianças podem se desenhar lendo a bíblia, cantando, orando, pregando o evangelho). Vá colocando esses desenhos dentro dos círculos gigantes.
Trabalhar com eles a música “Como sou”, faixa 2,  Cd da coleção Vida em Crescimento.
  1. Poema 4:
Esse poema fala de quatro amigos que rejeitaram as iguarias do rei, porque amavam o Senhor. Converse com as crianças sobre as coisas que o mundo oferece e que parecem boas, mas que precisam ser rejeitadas. Faça um trabalho com eles de recortar de revistas coisas que aparentemente são boas, mas que precisamos ter cuidado. Cada grupo poderá montar um cartaz para no final do dia, apresentar para os demais da sala
  1. Poema 5:
Esse poema conta a história de Davi, derrotando o gigante com cinco pedras.
Proposta de brincadeira 1: ACERTAR A LATA
Material: 6 latas de alumínio, 5 bolas pequenas (pode ser as de tênis), giz.
Como brincar: Colocar 6 latas iguais numa superfície, a  1 metro do chão. Formar com elas um triângulo, colocando as 3 latas na base, 2 em cima e 1 no topo. Traçar uma linha no chão com um giz, a uns 3 metros, a partir de onde as crianças lançarão as bolas.  Cada jogador será o Davi e receberá cinco “pedrinhas” para tentar derrubar as latas – o gigante. Conta-se um ponto por cada lata derrubada. E três pontos a mais para quem conseguir derrubar todas. Quem derrubar todas as latas, derrubou o gigante. Quem derrubar algumas latas, apenas feriu o gigante.
Proposta debrincadeira 2: DAVI E O GIGANTE
Material: Uma folha de papel kraft ou pardo grande. Uma canetinha de cor escura. Giz para pintar. Papel colorido (pode ser até de revista). Folhas de rascunho ou jornal velho. Fita crepe.
Como brincar: Ler o poema e conversar sobre ele.
Coloque as crianças sentadas em círculo no chão e o papel kraft no meio. Combinem que vão desenhar um gigante naquele papel e que para cada parte do corpo do gigante, usarão alguém do grupo para o molde. Uma criança deita no papel e outra contorna a cabeça e o pescoço, usando a canetinha. Outra deita para o contorno do tronco, o adulto deita para o contorno das pernas, outro para os braços... Quando o boneco estiver pronto, todos ajudam a desenhar detalhes do corpo, como o rosto do gigante, unhas, e a fazer as roupas. As crianças podem usar o giz para fazer tais detalhes e até recorte e colagem, picando com as mãos pedaços de papel coloridos para enfeitar a roupa do gigante, colando os papéis para fazer a calça, a camisa...
Quando a turma terminar o gigante, deverá pendurá-lo na parede. Então farão as pedrinhas que serão bolas de jornais enroladas com fita crepe. Cada criança deverá fazer para si cinco “pedrinhas”. Terminada a atividade, fazer uma fila com as crianças. Elas serão o Davi! Cada uma terá cinco chances, conforme o número de pedrinas, para acertar no alvo: a testa do gigante! Cada uma joga suas cinco bolinhas e volta para o final da fila. Conta-se um ponto para cada bolinha acertada na testa do gigante. 
  1. Poema 6:
O poema fala sobre a criação de Deus. Aproveite para fazer com eles um livrinho coletivo que conte a história da criação. Cada criança é resposável pela escrita do texto e pelo desenho de uma página do livro, desde o primeiro dia, até a criação do homem. Talvez algum dia da criação tenha mais de uma página, como o quinto dia, que fala de animais aquáticos, os selvagens, os domésticos, as aves... então mais de uma criança poderá desenhar esse dia. O desenho será feito apenas no contorno e não pintado. Ao término da atividade, as folhas serão unidas para formar o livro e irão para xerox. Na próxima semana, cada criança receberá o seu livro montado, para ser pintado. Começam pintando na salinha, e não dando tempo de terminar a atividade, levam para terminarem em casa.
Trabalhar com eles a música “A criação de Deus – Jogral”, faixa 1, Cd da coleção Vida em Crescimento. Pode –se trabalhar também o livro vol. 1 A criação do universo, juntamente com esse poema.  Aproveite para fazer o jogral, incorporando instrumentos e objetos que produzam os sons propostos no cd. Ou para pedir que eles desenhem cada uma das palavras que vão aparecendo no jogral, enquanto o cd está tocando.

  1. Poema 7:
O poema fala do milagre da múltiplicação dos pães. Aproveite para falarcom as crianças sobre a importência de repartir, dar aquilo que temos,mesmo que seja pouco. Porposta de atividade: massinha de farinha
Material:
2 xícaras de farinha de trigo.
½ xícara de água com 20 gotas de anilina comestível.
½ xícara de sal.
1 colher de óleo.
Copos e forminhas com desenhos variados.
Uma bacia para misturar os ingredientes.
Tesouras, palitos para as crianças cortarem a massa.
Como brincar: Faça a massinha em sala de aula, com a participação das crianças, misturando todos os ingredientes em uma tigela. É melhor colocar a água na massa aos poucos, para que ela não fique grudenta. Se ficar, coloque mais farinha. Caso fique muito dura, coloque um pouquinho de água, até dar o ponto de enrolar na mão. As próprias crinças podem colocar a anilina, observando a mistura da cor na massa branca. Amasse bem, até que fique boa para modelar. A massinha só serve para ser usada nesse dia, pois depois ela estraga. Fale da importância do sal na massa, que é para conservar mais tempo sem estragar. Aproveite para dizer que Jesus falou que nós somos o sal da terra e explicar o significado disso. Estimule as crianças a manipularem a massa livremente, com ou sem o auxílio das formas. Você pode oferecer para elas palitos de sorvete, tesouras sem pontas para recortar a massa, potinhos...
Aproveite para contar a história da multiplicação dos pães. Mostre que de uma massa, todos ganharam um pedacinho. Explique o que quer dizer partilhar.

9.       Poema 8:
Esse poema trabalha com a ideia de que mesmo pequenos, podemos ter as nossas responsabilidade. Trabalhar com eles a música “Disposto a aprender”, faixa ___ Cd da coleção Vida em Crescimento
Perguntar para eles o que seus pais fazem. Pedir de tarefa para casa que eles perguntem aos pais, ou para algum responsável:
No que eles trabalham? Como escolheram essa profissão? Como o Senhor os tem usado no seu trabalho? Quando e como receberam o Senhor? Eles deverão trazer tais questões na próxima semana para que cada um conte ao grupo o qe descobriu. Em seguida, cada criança colocará no papel em forma de desenho e texto:
O que gostaria de ser quando crescer?
Como pensa em servir o Senhor nessa possível profissão?
Como podem, ainda criança, servirem ao Senhor?
Quais são as responsabilidades que eles têm hoje? (Estudar, arrumar seus pertences...)
Isso pode virar um livrinho pessoal. Cada página a criança responde e desenha uma dessas perguntas. Isso pode ser feito num projeto durante algumas semanas.
  1. Poema 9:
Esse poema fala do tabernáculo. Um assunto muito difícil para as crianças. É bom tentar reproduzir fazendo uma maquete com escala menor, para que as crianças compreendam os objetos do tabernáculo e onde eles ficavam. Mostrar que hoje nós somos os tabernáculos. O nosso corpo é o santuário de Deus e que Deus não mora mais em templos feitos por mais humanas. Mostrar que assim como o tabernáculo tinha três partes, nós também temos – aproveite para relacionar com o poema número 3.
  1. Poema 10:
Esse poema mostra a história dos dez leprosos e da gratidão que apenas um teve ao voltar para agradecer o Senhor. Aproveite para representar esse poema em forma de teatro, usando as próprias crianças. Enfatize a questão da gratidão. Pergunte para eles se eles são gratos ao Senhor, aos pais e se eles costumam dizer obrigado pelas coisas que têm.
Peça para as crianças fazerem um cartão de agradecimento para alguém que tenha lhe feito o bem naquela semana.
Ore com o grupo agradecendo ao Senhor. Antes, peça para eles desenharem/ escreverem algo que gostariam de agradecer. Coloque isso na parede, montando um painel do agradecimento e junte-os para orar com base no que eles desenharam.
  1. Poema 11:
O poema mostra todo sofrimento de José e o quanto ele perseverou. Também mostra a importância do perdão. Trabalhe esses dois temas com as crianças. Pergunte se eles têm irmãos (amigo, pais) e as dificuldades que eles encontram. Ressaltar que nós sempre precisamos perdoar e pedir ao Senhor que nos ajude a ajudá-los.  Pedir que eles façam um texto ou desenho daquilo que mais os impressiona na história de José, para depois compartilhar com o grupo numa roda final, antes de irem embora.
Trabalhar com eles a música “Amai os vossos inimigos”, faixa 9 Cd da coleção Vida em Crescimento, aproveite para trabalhar o livro José, vol. 9, dessa coleção. Trabalhe também a música  “Paz entre os irmãos”, faixa 4  Cd da coleção Vida em Crescimento.
  1. Poema 12:
Esse poema mostra 12 pessoas que deixaram tudo para seguirem ao Senhor. Aproveite para trabalhar outras pessoas que deixaram tudo para servir ao Senhor e use a seção “Aconteceu com” do livro: “Por um buraco no teto e outras histórias”. Divida as crianças em grupos e peça para cada grupo conhecer e ilustrar a vida de uma dessas personalidades. Depois eles terão que apresentar para o restante do grupo. (essa atividade é para crianças a partir dos oito anos)
Também faz um chamado para as crianças, para que eles vivam e sirvam o Senhor.
Brincar de pega corrente: Uma criança será o pegador. O restante ficará correndo, fugindo do pegador. Quando o pegador encostar as mãos em uma criança, ela deverá dar a mão para o mesmo, formando uma corrente. Comparar a brincadeira com o Senhor. O pegador é o discípulo. Muitas vezes o discípulo vai falar do Senhor para as pessoas e elas fogem, não aceitam. De repente, ele consegue tocar nelas e elas são salvas. Então, passam a dar as mãos para o discípulo, ou seja, a cooperar pregando o evangelho aos outros. Nesse momento essa pessoa torna-se um discípulo também.